Buggy é uma das melhores maneiras de conhecer a região - Crédito: Sylvia Barreto

O que fazer em Cabo de Santo Agostinho (PE)?

por: Sylvia Barreto
20 de fevereiro 2019

Cabo de Santo Agostinho fica na região metropolitana de Recife e é destino de pelas praias. A meia hora de carro do centro da capital Pernambucana, a cidade é ideal para quem quer belas paisagens e sossego.

Além das praias, Cabo de Santo Agostinho tem uma história rica. O local teria recebido europeus, o espanhol Vicente Yañes Pinzón, em 26 de janeiro de 1500, antes mesmo de Pedro Álvares Cabral chegar por terras brasileiras em 22 de abril do mesmo ano.

A cidade também abriga o Porto de Suape e é recortada por rios. Com toda sua beleza natural e história ricas, Cabo de Santo Agostinho é um prato cheio para quem busca uma alternativa de passeio e até de hospedagem pertinho de Recife.

O Viajar é Simples esteve em Cabo de Santo Agostinho e preparou dicas das melhores atrações do destino, assim como de artesanato, gastronomia e hospedagem.

Praia Pedra do Xaréu – Crédito: Renata Victor / PMCSA

As praias de Cabo de Santo Agostinho

Cabo de Santo Agostinho tem nove praias ao longo de sua costa. A mais famosa e procurada delas é Calhetas, uma pequena enseada de 400 metros de extensão cercada por rochas, coqueiros e a Mata Atlântica. Precisa de mais alguma coisa?

A Praia de Calhetas tem uma boa infraestrutura para receber visitantes. É ponto de partida de passeios de lancha, catamarã, trilhas e também oferece opções de jetski e tirolesa.

Se Calhetas é a praia mais famosa, a Praia do Paiva é a maior de Cabo de Santo Agostinho. Ela tem dois pontos altos: coqueiros por tosa sua extensão e recifes com piscinas naturais.

É importante saber que a formação das piscinas naturais depende bastante da maré, por isso é preciso fazer uma consulta no hotel ou com as agências de turismo receptivo para saber o melhor horário para banho no local.

Fora a área de piscinas naturais, para entrar na água no restante da praia é preciso atenção porque as ondas são violentas, tanto que o local é bastante procurado para surfe.

Na Praia do Paiva existe até um Beach Club. Ele pertence ao hotel Sheraton Reserva do Paiva e os hóspedes têm acesso livre. Porém, todo o público pode acessar o local, que tem piscina, bar e restaurante na beira da praia, pagando uma taxa de uso diário.

Vista área das praias de Calhetas e Guaibú – Crédito: Renata Victor /PMCSA

A Praia Pedra de Xaréu também tem piscinas naturais em seus 800 metros de extensão. O nome vem do peixe Xaréu encontrado aos montes no local. Tem pequenos bares com petiscos de frutos do mar e outras comidas típicas da região.

Para os amantes do ecoturismo, a Praia de Itapuama é destino imperdível. Além de sua beleza natural, ela dá acesso ao Morro Melo, um penhasco que permite ver todas as praias da região desde seu topo.

Outra particularidade da Praia de Itapuama é que por ali é possível tomar um banho de lama medicinal, o caulim, uma argila branca. Ao seu redor tem hotéis, pousadas e bares.

A Praia de Enseada dos Corais costuma ser chamada de Praia do Boto. Sua faixa de areia de 2,5 quilômetros de extensão e é ideal para banho, já que suas águas são limpas, tranquilas e ainda formam piscinas naturais.

Piscinas naturais da Praia do Paiva – Crédito: Sylvia Barreto

A menor praia é a chamada também de Cabo de Santo Agostinho. Ela fica no acidente geográfico que deu nome à cidade. Ao norte da Praia de Enseada dos Corais e ao sul do Cabo de Santo Agostinho, fica a Praia de Gaibú. São três quilômetros de faixa de areias, porém, suas ondas fortes e profundidade a tornam perigosa para banho, porém, ideal para o surfe. É bem badalada, cheia de bares, restaurantes e hotéis ao seu redor.

A Praia do Paraíso não tem esse nome por um mero acaso. Com duas baías, mirantes, um morro de pedras vulcânicas e Mata Atlântica ao redor, é mesmo um pedaço de paraíso. Para completar, os recifes a protegem e deixam o mar com poucas ondas e ideal para banho.

Uma grande porção de terra é notada no mar por quem está na Praia do Paraíso. É a Ilha do Francês. Da praia há possibilidade de passeio de barco até o local e também pelos rios Massangana e Ipojuca com suas ilhas.

Também com uma barreira natural de recifes, a Praia de Suape é uma antiga vila de pescadores. Pequenos barcos ainda decoram sua paisagem. Com três quilômetros de extensão, essa praia de Cabo de Santo Agostinho tem areias brancas e finas.

Praia do Paraíso – Crédito: Renata Victor / PMCSA

Como visitar as praias?
Para visitar as praias de Cabo de Santo Agostinho é possível fazer passeios com agências de turismo receptivo, fechar um passeio de buggy ou alugar um carro.
A Pontual Receptivo oferece passeios pelas praias da região, inclusive, com opção até Porto de Galinhas. Os buggys trabalham junto com as agências, hotéis e nas praias da região. O ideal é contratar o serviço de profissionais da Associação de Buggy Veículos de Turismo (ABVT) com passeios que giram em torno de R$ 200 para quatro pessoas.


Passeios pelos rios de Cabo de Santo Agostinho
Nem só de mar vive Cabo de Santo Agostinho. A cidade é recortada por rios e algumas empresas oferecem passeios com variadas embarcações por eles, desde lanchas até catamarãs.

O Bar do Doido é um dos locais que oferece passeio de catamarã completo pelo Rio Massangana. Localizado na Estrada Velha do Suape, o bar tem saídas de uma hora e meia de duração com passagem por três ilhas do rio com parada em uma delas para banho. O valor é de R$ 30 por pessoa.

Passeio de catamarã do Bar do Doido – Crédito: Sylvia Barreto

Pratos com frutos de mar e peixes são servidos frescos no Bar do Doido – Crédito: Sylvia Barreto

Com instalações simples e mesinhas na areia, o Bar do Doido oferece um vasto cardápio de delícias típicas da região. Para completar o passeio, tome um caldinho, bem comum nas praias de Pernambuco. Tem opções como sururu, aratu (caranguejo) e camarão. Cada um custa R$ 6. Um prato bem procurado para almoço é a lagosta ao molho de coco (R$ 85 para duas pessoas).

Outro local da região que oferece passeios de catamarã é o Sollarium Eventos, na cidade vizinha de Jaboatão dos Guararapes. O empreendimento reúne área de lazer, espaço para eventos, marina e restaurante. O cliente pode optar por um day use para usufruir das instalações do local ou fazer apenas o passeio de barco ao pôr do sol.

Com saídas no fim da tarde, o catamarã deixa a Sollarium, que está às margens do rio Pirapama e também passa pelo Rio Jaboatão. O ponto alto é mesmo quando o sol começa a desaparecer no horizonte de tons de laranja invadem a paisagem.

Vista durante passeio pelos rios Pirapama e Jaboatão – Crédito: Sylvia Barreto

A histórica Cabo de Santo Agostinho
A estadia em Cabo de Santo Agostinho não é válida apenas para deixar o corpo mais bronzeado. Um pouco da história do Brasil pode ser desvendada por lá com passeios bastante enriquecedores.

O Engenho Massangana, por exemplo, faz parte da cena de desenvolvimento local e do Brasil. Ele cresceu com a produção de açúcar mascavo e o produto era escoado pelo rio que deu nome à propriedade e que está ao seu redor.

Além de seu sucesso como negócio, o engenho foi casa durante os primeiro oito anos de vida de Joaquim Nabuco, que seria um importante líder abolicionista. Ele vivia com sua madrinha, proprietária do local, Ana Rosa Falcão.

Capela de São Mateus no Engenho Massangana – Crédito: Sylvia Barreto

Casa do século 19 do Engenho Massangana – Crédito: Sylvia Barreto

Com uma casa do século 19 e a Capela de São Mateus, a área é tombada pelo Estado como Parque Nacional da Abolição. O casarão virou um museu com móveis e artigos da época.

É possível visitar o complexo de terça a sábado das 09h00 às 16h30. O ingresso é gratuito. Grupos com mais de dez pessoas precisam de agendamento. O site do Engenho Massagana tem todas as informações, basta clicar aqui.

Para completar as visitas históricas, pertinho da Praia de Calhetas, não deixe de conhecer a Vila de Nazaré. Datada do século 16, a vila de construções portuguesas é o ponto mais alto de Cabo de Santo Agostinho abriga a Igreja de Nossa Senhora de Nazaré, as ruínas do Convento Carmelita e um mirante incrível. As construções foram feitas pelos portugueses.

Na Vila de Nazaré também há um mirante bastante frequentado. De seu topo, é possível avistar algumas das belas praias de Cabo de Santo Agostinho e a antiga casa do faroleiro que contrasta com o mar azul.

Igreja de Nazaré – Crédito: Renata Victor / PMCSA

Do Mirante de Nazaré é possível ver a antiga casa do faroleiro – Crédito: Sylvia Barreto

Leve um artesanato para casa

Você é daquelas pessoas que adora levar um “pedacinho” do lugar que visitou na mala? Se a resposta for sim, vá até o Centro de Artesanato Arquiteto Wilson Campos Júnior. O espaço comunitário conta com 16 artesãos e cada um deles faz tipos diferentes de peças.

O responsável atual pelo local é Severino Antônio de Lima, o Nena. Ele e os outros profissionais usam os ensinamentos da tradição que começou na década de 1970. As peças, após passaram pelas mãos habilidosas dos artistas, seguem para o forno por horas sempre usando energia ou gás natural, nada de lenha.

Dá para comprar por lá peças decorativas ou utilitárias, como gamelas e bacias. O local fica aberto de segunda sábado das 08h00 às 17h00. No site do local tem mais informações, clique aqui para visitá-lo.

Deoclésio Mariano, o Seu Déo, trabalha com cerâmica há 60 anos – Crédito: Sylvia Barreto

Peças do Centro de Artesanato Arquiteto Wilson Campos Júnior – Crédito: Sylvia Barreto

É possível comprar no local as peças do Centro de Artesanato – Crédito: Sylvia Barreto

Dica de restaurante
Comida típica, vista para o mar, mas sem pisar na areia é no Restaurante Beijupirá. Famoso em Pernambuco, com unidades espalhadas pelo Estado, o empreendimento também tem uma unidade em Cabo de Santo Agostinho, precisamente na Reserva do Paiva.

Lembra da Praia do Paiva do início do texto? Então, o Beijupirá fica em frente. Aliás, a Reserva do Paiva é o primeiro bairro planejado do Estado de Pernanbuco. É uma espécie de Barra da Tijuca do Rio de Janeiro: tem praia, condomínios, hotel e é afastada dos tumultos.O investimento no bairro é da família Brennand, sim a mesma do famoso artista Fernando Brennand.

Mas falando de comida, o Beijupirá tem um extenso cardápio de comidas típicas e com muitos peixes e frutos do mar. Para começar, já prove logo os Dadinhos da Prima Donna (R$ 34), que são dadinhos com goma de tapioca e molho de pimentas frescas.

Dadinhos da Prima Donna – Crédito: Sylvia Barreto

Camarão dos carneiros – Crédito: Sylvia Barreto

 

Para prato principal, tente um Polvo Jangadeiro (R$ 96), que é um polvo no azeite, tomate, batatas e arroz de pão crocante. Vai de camarão? Peça o Camarão dos Carneiros (R$ 76), que são camarões no molho gorgonzola, arroz de goiaba e bacon crocante.

Sobremesa? Aposte em uma releitura de prato típico, a Cartola de Deus (R$ 28). Bom, se com tanta comilança conseguir, ainda prove uns drinques com frutas típicas da região. Tem mais infos no site do restaurante, só clicar aqui.

Hotel em Cabo de Santo Agostinho

Sabe em qual lugar fica o único hotel cinco estrelas de bandeira internacional do Estado de Pernambuco? Em Cabo de Santo Agostinho. É o Sheraton Reserva do Paiva, do grupo Marriott.

Quartos
Com 298 apartamentos, o hotel tem uma bela vista dos coqueiros da Praia do Paiva e do mar azulzinho. As categorias são: Classic, Club Piso, Club Suíte e Presidencial.

As acomodações da categoria Club são acesso ao Club Lounge, no último andar do prédio. O lounge é um espaço confortável que oferece café da manhã, bebidas e petiscos ao longo dia, principalmente, na happy hour.

Todas são bem confortáveis e há parte dos quartos com vista para o mar e banheira. Os quartos têm tábua de passar e ferro, uma regra do grupo Marriott, e os banheiros são espaçosos e com secador.

Parte dos quartos do Sheraton Reserva do Paiva têm vista para o mar – Crédito: Divulgação

Banheira no quarto categoria Club Piso – Crédito: Sylvia Barreto

Lazer
Para o lazer, o Sheraton Reserva do Paiva tem sauna, piscina ao ar livre e piscina coberta e jacuzzi no spa, além de quadras. No Shine Spa há diversos tratamentos, vale a pena reservar um horário para fazer uma boa massagem.

Como a Praia do Paiva está do outro lado da rua, o hotel tem seu próprio Beach Club. Ele é de uso livre para os hóspedes e conta com restaurante, bar, piscina, espreguiçadeiras e chuveiros.

Em frente ao hotel tem uma ciclovia. E, para facilitar a vida do hóspede, o Sheraton Reserva do Paiva oferece o empréstimo gratuito de bicicletas. Quem preferir se exercitar dentro do hotel, há uma academia.

As crianças contam com uma área especial com brinquedos e televisão. Além disso, há ações pontuais com monitores.

Piscina do Sheraton Reserva do Paiva – Crédito: Sylvia Barreto

Uma das salas de tratamento do Shine Spa – Crédito: Sylvia Barreto

Espaço para crianças do Sheraton Reserva do Paiva – Crédito: Crédito: Sylvia Barreto

Restaurantes
O hotel conta com um bar no lobby e dois restaurantes. Um deles, o Paiva Grill abre em todas as refeições. Ele trabalha com café da manhã e almoço estilo buffet todos os dias. Aos sábados, oferece uma tradicional feijoada. Durante o jantar, os pratos são à la carte, porém, há buffet em dias de mais movimento.

O Paiva Grill tem um buffet de café da manhã extremamente farto, com pães feitos no local, assim como bolos e outras delícias. No almoço, não deixe de provar o pudim do Sheraton Reserva do Paiva. Receita do chef responsável pelo hotel, Fernando Fonseca, ele desmancha na boca. Aliás, clica aqui para ver uma matéria completa sobre o doce.

Outro restaurante do hotel, que abre apenas à noite, é o Reserva. Ele tem pratos e vinhos refinados e o cliente pode escolher o menu à la carte, com poucas, mas variadas opções, ou o menu degustação.

Restaurante Paiva Grill – Crédito: Sylvia Barreto

Não deixe de provar o pudim do Sheraton Reserva do Paiva- Crédito: Sylvia Barreto

Famílias e grupos ainda podem reservar o serviço Chef´s Table. Geralmente servido no terraço, é um jantar especial com cardápio planejado especialmente para a ocasião e harmonizado com vinhos. O próprio Fernando prepara o menu em frente aos convidados.

Para completar, tem um bar no lobby e outro na piscina. Às sextas, a partir das 19h00, tem DJ no Lobby Bar. Todos os restaurantes do hotel são abertos também para quem não é hóspede.

Algo que faz a diferença no Sheraton Reserva do Paiva é que ele oferece diversos tipos de pacotes de alimentação. O hóspede pode optar por hospedagem apenas com café da manhã, com meia pensão, pensão completa ou all inclusive.

Fachada do Sheraton Reserva do Paiva – Crédito: Sylvia Barreto

Reservas no site do hotel: sheratonreservadopaiva.com

Com todas essas atrações em Cabo de Santo Agostinho, vale pelo menos dar um pulinho na cidade na sua próxima viagem a Pernambuco, não acha? Se tiver dúvidas, deixe nos comentários.

Site oficial da cidade: www.cabo.pe.gov.br/turismo

*A repórter viajou a convite do Sheraton Reserva do Paiva

ENVIAR COMENTÁRIO

0 Comentários