Cesky Krumlov tem centro histórico declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO - Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Cesky Krumlov: cidade imperdível na República Tcheca

por: Sylvia Barreto
19 de agosto 2019

Cesky Krumlov é um nome difícil de pronunciar para um destino que recebe dois milhões de turistas por ano. O que eles buscam? Ver a beleza medieval preservada da cidade.

A maioria de visitantes por lá não é de brasileiros, as ruas ficam cheias de pessoas dos Estados Unidos, Europa e Ásia. Eles já descobriram o charme da cidade de 14 mil habitantes que tem o centro histórico declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO desde 1992. Só falta a gente descobrir também em peso.

O Castelo de Cesky Krumlov, e principal ícone da cidade, só perde em número de visitantes para o Castelo de Praga na República Tcheca. E, pode parecer clichê, mas suas ruas de pedras e construções de séculos atrás te transportam para outra época.

Cesky Krumlov fica a 180 quilômetros de Praga, perto da fronteira com a Áustria – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Para completar, o destino região da Boêmia do Sul é bem acessível para quem está tanto em Praga, a 180 quilômetros, como Viena, a 200 quilômetros. Aliás, um roteiro que junte as três cidades é perfeito para uma viagem cheia de beleza.

Pela proximidade, muitos turistas fazem apenas um bate e volta para Cesky Krumlov quando nas capitais próximas. Ou param a caminho de outros destinos. Isso só é indicado para quem não tem tempo mesmo. Dois dias inteiros e uma noite, pelo menos, para explorar tudo é o mais indicado.

Neste texto, você vai encontrar todas as dicas que precisa para ter uma viagem perfeita e inesquecível por Cesky Krumlov e conhecer todos os seus encantos, e não apenas o castelo. E, lá no fim, tem vídeo sobre o destino também.

O Castelo de Cesky Krumlov é a atração mais famosa da cidade – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

A história de Cesky Krumlov

Quando entrar no centro histórico de Cesky Krumlov, dentre tantas belas construções, uma chamará a sua atenção: o castelo. Ele fica no alto, às margens do rio Moldava e é impossível não notá-lo, com sua torre colorida, logo de cara.

Ele nasceu no século 13, antes mesmo de Krumlov ser denominada cidade. Aliás, quando já estiver por lá e se sentir íntimo do destino, pode falar só “Krumlov”. O termo “Cesky” é apenas usado para designar a localização na Boêmia.

O primeiro registro escrito de Krulov como cidade data de 1309, no século 14. Foi neste mesmo século que a família nobre Rosenberg herdou o castelo dos primeiros donos, seus parentes.

O Castelo de Cesky Krumlov tinha um jeitão meio gótico, que os Rosenbergs até curtiram por um tempo. Mas ao longo dos quase três séculos que foram donos da propriedade, começaram a fazer novas construções no estilo renascentista.

No século 17, o castelo ganhou novos donos, os Schwarzenberg. Eles acharam melhor construir mais umas coisinhas na propriedade no estilo barroco e, o resultado que vemos hoje é surpreendente.

Bairro de Vnitrni Mesto ou Old Town – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Ao longe, no alto, não dá para identificar que as cinco quadras e as 40 construções do espaço que fazem parte do complexo são um único castelo. E esse é todo o charme. Ao contrário da maioria de outros castelos europeus, o de Cesky Krumlov mistura vários estilos.

Enquanto o castelo crescia e se transformava bem no ponto que o Moldava faz a curva, a cidade se estabelecia ao seu redor. As curvas do rio parecem formar três ferraduras, sendo que o castelo está dentro de uma delas.

Neste espaço das “ferraduras”, a cidade se desenvolveu ao longo dos séculos. Infelizmente, tanto na Segunda Guerra Mundial como na época do socialismo da União Soviética, ela ficou praticamente vazia.

Com o fim da ocupação comunista em 1989, o governo da então Tchecoslováquia decidiu devolver as propriedades que pertenciam ao Estado naquele momento aos donos originais e vender por preços baixos aquelas que não conseguissem fazer isso.

Cesky Krumlov tem cerca de 300 prédios que fazem parte da área de Patrimônio da Humanidade da UNESCO – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

A proposta do governo era de que os antigos e novos donos restaurassem as propriedades e até dessem novos destinos a elas, como restaurantes, hotéis e pensões. Deu certo e, em 1992, a UNESCO reconheceu os cerca de 300 prédios históricos do centro como Patrimônio da Humanidade, incluindo o castelo.

Com o desmembramento da Tchecoslováquia, Krumlov passou a fazer parte da República Tcheca. Mesmo com uma grande enchente em 2002, a cidade não se deixou abater e hoje vive todo o charme de seu período medieval com construções completamente preservadas.

Com ruas de pedras como as dos séculos 14 e 15 e com confortáveis hotéis, Cesky Krumlov é um convite para se perder e passar uns dias por lá. A cidade é muito diferente quando a noite cai e um novo charme se estende sobre ela. Se puder, não perca essa magia.

O Castelo de Cesky Krumlov no pôr do sol, que, no verão, acontece depois das 21h00 – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

As maneiras de visitar o Castelo de Cesky Krumlov

De uma maneira ou de outra, o turista que vai até Cesky Krumlov não deixa de visitar o castelo. Há muitas maneiras e tours para conhecê-lo.

A boa notícia é que tem uma parte do castelo que é possível conhecer sem desembolsar uma única coroa tcheca. Todas as áreas externas, como pátios, mirantes e jardins, são livres para todos.

Quem quer conhecer os interiores tem algumas opções, dentre elas, tours guiados em inglês. No site oficial do castelo tem os dois tours guiados disponíveis.

O tour 1 é focado nos aposentos originais dos períodos do Renascimento até o Barroco. Já o tour 2 é concentrado na família Schwarzenberg e sua atuação no castelo. Ambos duram 55 minutos.

Um dos pátios do castelo com revestimento tridimensional histórico, típico na cidade – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

O Castelo de Cesky Krumlov guarda outra preciosidade, um teatro barroco. Ele é um dos únicos e melhor preservado da Europa.

Para conhecer o teatro barroco também existe um ingresso pago. É uma experiência única já que o teatro é original.

Em algumas épocas do ano é possível ver apresentações nele. O Chamber Music Festival no verão é bastante concorrido. Mas, se tiver a chance, não perca o evento.

Com o Castelo de Cesky Krumlov fica em um ponto alto da cidade, ele tem vários mirantes nas áreas externas, que são abertas ao público sem custo algum. Porém, a vista mais bonita é da torre do castelo.

As áreas externas e jardins do castelo têm visitação livre – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Parte dos jardins do castelo – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Para subir no alto da torre é preciso comprar um ingresso que dá direito também a visitar o Museu do Castelo. É outra forma de conhecer mais dos interiores do castelo.

O Museu do Castelo tem objetos usados pelas famílias que o ocuparam ao longo dos séculos. É bem curioso ver desde utensílios domésticos até esqueletos.

Para chegar ao alto da torre tem uma escada estreita, mas não é muito cansativo. Lá de cima, a vista do rio, do castelo e dos bairros históricos de Cesky Krumlov é um dos melhores momentos da viagem.

Para fazer pelo menos um tour guiado pelo castelo, visitar teatro, o museu a torre e todas as áreas externas, reserve, pelo menos, um dia. Exceto no Museu do Castelo, todas as outras áreas internas são visitadas apenas com guia.

O Rio Moldava visto da torre do castelo – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Vista do alto da torre do castelo – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Aproveite o rio Moldava

Os tchecos adoram seus rios. O Moldava fica lotado no verão, época que a equipe do Viajar é Simples esteve na cidade.

Aliás, o rio Moldava é o mesmo que vai até Praga e também tem uma vida bem agitada por lá. Em Cesky Krumlov não é diferente.
Moradores e turistas fazem várias atividades no rio. Seja um passeio de caiaque ou de outras embarcações, passear pelo Moldava e ver a cidade desse ângulo é imperdível.

A empresa Voroplavba tem passeio ideal para quem quer curtir as belezas da cidade de forma bem confortável. Em qualquer estação do ano, ela oferece passeios pelo Moldava em uma embarcação que acomoda grupos de pessoas.

Tchecos e turistas aproveitam o rio Moldava – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Caiaque é uma das opções para passear no rio – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

As embarcações da Voroplavba saem sempre com dois colaboradores sendo que um deles vai explicando sobre os lugares navegados. Além das saídas regulares ao longo do dia com uma bebida inclusa, existem outras opções com café da manhã e jantar.

No inverno, há passeios regulares pelo rio Moldava a partir de 350 coroas tchecas por pessoa. No verão, a partir de 450 coroas tchecas.

Também não deixe de sentar em um dos inúmeros restaurantes à beira do rio. Claro, a vista tem seu preço embutido nos valores dos pratos, mas é uma delícia fazer uma refeição ao lado do Moldava, ainda mais em um dia quente de verão tomando uma boa cerveja tcheca.

Os dias de verão são ideias para um passeio pelo Moldava – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

O Castelo de Cesky Krumlov visto do Moldava – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Transporte usado pela empresa Voroplavba – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Um monastério atípico

Não bastasse um castelo com estilos completamente diferentes, que não é comum na Europa, Cesky Krumlov tem outras particularidades. Uma delas é o monastério, na verdade, os monastérios.

Geralmente, em um complexo há um monastério para monges ou para freiras. Em Cesky Krumlov, não, são para ambos os sexos.

O primeiro prédio do complexo foi estabelecido na primeira metade do século 14 pela família Rosenberg. Em 1357 chegaram os primeiros monges e, em 1361, as primeiras freiras. Era um esforço para que Cesky Krumlov ficasse cada vez mais parecida com Praga.

Na atualidade, além dos prédios dos monastérios, o complexo abriga jardim, igreja, loja de artesanato e até cervejaria. Todas essas áreas históricas podem ser visitadas. Há vários tipos de ingressos que combinam exposições e atividades e todos eles podem ser vistos neste link.

Aliás, em uma das entradas/saídas do monastério, na rua Klásterní, quase colada ao portão, fica a Pizzeria Nonna Gina, aberta no almoço e jantar. Ela tem massas e aquela típica pizza italiana, sabe? É ideal para tomar uma boa cerveja também. A cozinha fica aberta desde as 11h00 até as 22h00 todos os dias. O bar só fecha às 23h00.

Rua de uma das entradas dos Monastérios com a Pizzeria Nonna – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Fique perdido nas ruelas históricas de Krumlov

Tanto o castelo como os Monastérios estão no mesmo bairro, Latrán, uma das “ferraduras” (meio deformada). Do outro lado do rio, fica a área de Vnitrni Mesto, nos mapas em inglês, Old Town.

Nessa área, tem a praça principal da área com o centro de informações turísticas, que, aliás, oferece câmbio dentro dele, pode confiar. As ruas por ali são todas estreitas e charmosas, cheia de bares, restaurantes e hotéis.

Em Old Town é importante visitar três locais: St. Vitus Church, em estilo gótico do século 15; o Regional Museum, que conta a história da cidade e fica em prédio barroco no qual funcionava a Jesuit High School e o Egon Schiele Art Centrum.

No Regional Museum, mesmo que você decida não entrar, aproveite o pátio, que é aberto a todos e tem uma vista linda do castelo. Aliás, é local ideal para ver o pôr do sol.

O castelo visto de Old Towm – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Egon Schiele foi um importante artista austríaco, mas sua mãe era tcheca. Ele costumava passar os verões na cidade. Além de pintar algumas garotas nuas, o que causou vários escândalos, ele também fez quadros das paisagens da cidade. Em sua homenagem, foi aberto o Egon Schiele Art Centrum, que abriga algumas de suas obras e exposições temporárias de outros artistas.

Atravessando outra vez o rio, no sentido sul, a terceira “ferradura” abriga a área de Southern Meander. Por ali, visite a Sinagoga de Cesky Krumlov e o Museum Fotoatelier Seidel.

Cesky Krumlov do passado em quadros de Egon Schiele – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

A sinagoga foi construída em 1909 em art nouveau e tem uma exibição permanente da história dos judeus e sua cultura. Para completar, um café cheio de delícias e vinhos.

Já o Museum Fotoatlier Seidel conta a história da família Seidel. Que se mistura com a Cesky Krumlov. Josef Seidel abriu o ateliê de fotografia no início do século 19, um de seus filhos continuou a usá-lo por alguns anos.

A casa ficou fechada e sem uso por muitos anos por conta da Segunda Guerra e da ocupação soviética. Mas, restaurada em 2008, reabriu como museu. O interessante do local é que além de ver o processo fotográfico antigo, ainda dá para marcar uma seção de fotos com roupas de época. Isso mesmo, além da visita, dá para agendar um horário e ter essa experiência, no mínimo, divertida.

A visita no museu é paga e feita com áudio-guia. A família Seidel retratava não só pessoas, mas os principais acontecimentos da cidade naquela primeira metade do século 20. Para fazer a seção de fotos é preciso agendar previamente. Pode ter certeza que essas fotos vão completar a viagem no tempo que Cesky Krumlov promove na gente.

Fotoatelier Seidel – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

O Museu Fotoaleier Seidel tem visitas com áudio-guia – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Equipe do Viajar é Simples em seção de fotos no Fotoatelier – Crédito: Fotoatelier Seidel

Dicas práticas e importantes sobre Cesky Krumlov

Moeda: a moeda da República Tcheca é a coroa tcheca. A cotação, geralmente, é de 1 euro para 25 coroas tchecas.

Pagamentos: Muitos lugares em Cesky Krumlov não aceitam cartões de crédito. Por isso, é sempre bom ter euros ou coroas, já que muitos estabelecimentos aceitam pagamentos em euros.

Câmbio: Para fazer a troca de moedas, o Viajar é Simples indica o câmbio que fica dentro do centro de informações turísticas (námestí Svortnosti, 2). Alguns hotéis também têm máquinas nas quais você coloca o euro e recebe coroa.

Idioma: a língua oficial é o tcheco, porém, nos locais turísticos, o atendimento em inglês é comum. Inclusive, há cardápios em inglês.

Locomoção: é possível fazer tudo caminhando. Porém, caso precise, existem táxis, mas eles não acessam todo o centro histórico. Cuidado com as rodinhas das malas porque, nas ruas de pedras, elas podem quebrar.

Refeições: no centro histórico, onde fica a maioria dos meios de hospedagem, os pratos começam, geralmente, nas 300 coroas tchecas, algo em torno de 12 euros. Claro, há pratos mais caros, mas é difícil encontrar uma refeição por valor menor. Aproveite as cervejas que custam entre 1 e 2 euros.

Tours: Existe na cidade alguns “tours grátis”, nos quais alguns guias esperam ter público em locais históricos e começam os tours. No final, é sugerido que o turistas dê uma “caixinha” para o guia e, muitas vezes, acaba saindo o valor dos tours agendados. Uma empresa utilizada pelo Viajar é Simples com tours em inglês é a Krumlov Tours. Para conhecê-la, basta clicar aqui. A empresa é reconhecida pelo órgão de turismo da cidade e a dona, Karolina, sabe tudo sobre o destino.

A moeda usada é a coroa tcheca. Alguns locais aceitam euro em Krumlov – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Como chegar a Cesky Krumlov?

Quando pensamos em locomoção na Europa, logo vem a ideia do trem. Porém, esse não é o melhor meio de chegar a Cesky Krumlov. Não tem uma estação muito próxima do centro histórico que dê para ir andando de malas.

Se estiver viajando apenas pela República Tcheca, dá para alugar um carro ou pegar ônibus. O ponto negativo do carro será local para estacionar. Se for cruzar fronteiras, prefira mesmo o ônibus. A rodoviária fica ao lado do centro histórico, é bem prático. No caso de embarques, basta ver nas sinalizações de qual plataforma seu ônibus irá partir.

Empresas econômicas, como a Flixbus, fazem o trajeto entre Viena e Cesky Krumlov e entre Krumlov e Praga. De Viena para Cesky Krumlov, as passagens costumam começar nos 11 euros. Já entre Krumlov e Praga, nos 4.99 euros.

A Flixbus liga Krumlov a destinos como Praga e Viena – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

A Flixbus tem baixo custo, por isso, é preciso ter em mente que os assentos são pequenos, os trechos têm muitas paradas e nem sempre você vai descer em uma rodoviária oficial.

No calor, não espere que o ar condicionado funcione muito bem, assim como no restante da Europa. Para marcar assentos, é preciso pagar e nem sempre a marcação funciona 100%.

Outra opção de empresa é a Regiojet. Apesar de mais confortável, a partir de Viena não é possível ir direto para Cesky Krumlov, é necessário trocar de ônibus em Praga. Esses trechos custam a partir de 22,9 euros.

Para quem só vai fazer o trecho de Cesky Krumlov e Praga, a Regiojet compensa. São vários horários e valores a partir de 6,7 euros.

A rodoviária fica ao lado do centro histórico de Krumlov – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

A rodoviária de Krumlov é organizada e prática – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Onde ficar

Hotel Ruze
A equipe do Viajar é Simples ficou hospedada no hotel Ruze. Ele é ideal para quem quer um hotel que ofereça conforto e que faz parte da história da cidade.
Instalado em uma propriedade do século 16, ele fica ao lado da St Vitus Church e em frente ao Regional Museum. Abriu a primeira vez como hotel em 1889, mas fechou com a ocupação alemã em 1938.

Reabriu em 1939 como propriedade do grupo Jan Hotels, que oferece outro empreendimento em Krumlov e duas opções em Praga. É um hotel cinco estrelas e de 71 quartos com decoração que lembra bastante o Castelo de Cesky Krumlov.

St. Vitus Church e Hotel Ruze vistos do rio Moldava – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Há diárias a partir de 92 euros para o casal e que incluem café da manhã buffet. A refeição é bem servida e ainda dá para pedir alguns pratos na hora, como omelete. O hotel também tem restaurante e room service para almoço e jantar.

Para o lazer, o hotel oferece spa com piscina e jacuzzi. Tem, ainda, uma bela varanda com vista para o rio Moldava. Para reservar pelo Booking.com, clique aqui.

Informações: http://www.hotelruze.cz/

Lembrando que Cesky Krumlov tem opções de hospedagem para todos os bolsos. Como muitas casas foram compradas com intuito comercial, há diversos locais com poucos quartos e preços bem acessíveis. Hotéis de grandes redes não são tão comuns na cidade. Veja opções de hospedagem na cidade clicando aqui.

O Hotel Ruze faz parte da história de Krumlov – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Piscina no spa do Hotel Ruze – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Um dos quartos do Hotel Ruze – Crédito: Rodrigo Barrionuevo

Resolva tudo com o Viajar é Simples

Este texto te ajudou? Então reserve sua viagem com os parceiros do Viajar é Simples! Você não perde nada, não ficamos com seus dados e, às vezes, até ganha um descontinho. Já o site consegue continuar existindo porque recebemos uma pequena comissão.

Para conhecer a Europa é exigido seguro viagem. Dá para comprar on-line e parcelado da Affinity Seguros clicando nesse link aqui. Para escolher seu meio de hospedagem, a Booking.com tem quase 300 opções na cidade, só clicar aqui para reservar.

E você quer desconto? Então, para não ficar desconectado, o Viajar é Simples te dá 10% de desconto no chio Flexiroam. Ele funciona em mais de 140 países, incluindo a República Tcheca e seus vizinhos. Na hora da compra, basta usar o cupom VIAJAR10. O site para compras é este aqui! Se quiser saber detalhes sobre o chip, basta acessar essa matéria.

Vídeo de Cesky Krumlov

Para te ajudar ainda mais, tem um vídeo completinho sobre a cidade:

*A equipe do Viajar é Simples viajou com apoio do Escritório de Turismo da República Tcheca e do Hotel Ruze, porém, esse artigo oferece impressões reais e isentas dos locais mencionados

ENVIAR COMENTÁRIO

0 Comentários