GEDSC DIGITAL CAMERA

Por dentro do maior navio da MSC no Brasil

por: Sylvia Barreto
2 de Janeiro 2012

No litoral brasileiro, chega um transatlântico de 16 andares. O tamanho impressiona por aqui. A beleza do navio também. A embarcação tem detalhes em azul, como as outras da MSC. É o Orchestra, maior navio da empresa italiana no Brasil na temporada 2011-2012. Ele tem capacidade para receber 3013 passageiros de uma vez distribuídos em 1275 cabines.
Para atender todos os hóspedes, o MSC Orchestra tem pouco mais de 700 tripulantes, ou seja, a equipe que trabalha no navio. Eles são de diversos países do mundo. Muitos deles, da Itália, país de origem da companhia marítima. Brasileiros também há, pelo menos 25% do total. Quem não fala português, conversa em inglês. Os cardápios e informações escritas são oferecidos em vários idiomas e todos eles com a opção da língua portuguesa.
O primeiro cruzeiro que o Orchestra fez no Brasil nesta temporada teve saída de Santos (SP) dia 05 de dezembro e passou por Búzios (RJ) e Ubatuba (SP) em um roteiro de quatro noites. A reportagem da Viajar é Simples embarcou nessa viagem e conta como é estar no MSC Orchestra.

A chegada
O navio está cheio, capacidade máxima de passageiros. Ao entrar no navio, é preciso fazer o check in na recepção. O hóspede entrega seu RG e voucher. O atendente devolve cartão magnético com todas as informações sobre a estadia: número de cabine, o que o pacote inclui e nome. Durante toda a viagem, ele será necessário.
Antes de ir para o quarto, o indicado é passar pelo balcão de contas para fazer um depósito ou registrar o cartão de crédito para os gastos no navio. O cartão precisa ser internacional, já que o navio é italiano, e estar com limite disponível. O depósito tem que ser de, no mínimo, US$ 150 por pessoa ou o equivalente em reais. Tudo que for gasto será descontado desse valor, se sobrar, a quantia é devolvida antes do desembarque.
Depois de fazer todas as obrigações. É a hora de conhecer a cabine. Elas são de vários formatos que variam de acordo com o número de passageiros e valor. As mais caras são aquelas com varandas maiores. E varanda é o que não falta no Orchestra, 75% das acomodações são equipadas com uma. O navio é dividido em: suítes com varanda privadas (18), cabines com varanda (809), cabines externas (173) e cabines internas (275).

O lazer
Ficar em um navio por alguns dias ainda pode ser estranho para algumas pessoas que acham que irão ficar entediadas. Mas para quem gosta de se divertir, com certeza, isso não irá acontecer. A começar pelas duas piscinas e suas jacuzzis ao redor. Elas ficam na área externa e são separadas por um palco e uma sorveteria.
Durante o dia muitas atividades acontecem ao redor da piscina. Há shows, música e a equipe de animação faz gincanas e dá aulas de dança, como salsa, para com os hóspedes. Dentro do navio tem algumas apresentações diurnas, mas são poucas, é possível, por exemplo, fazer aula de italiano. Além disso, existe quadra de esportes, zona de jogos eletrônicos e espaço para crianças. Já a área interna da embarcação fica mesmo mais atrativa à noite quando o Teatro Convent Garden abre suas portas, assim como as lojas, e cantores animam o público nos bares.
A animação continua noite adentro para aqueles que querem tentar a sorte no cassino, dançar nas festas temáticas ou na boate R32 Disco. Na balada, há DJ que toca músicas atuais e o ambiente é moderno, todo prata com pequenas luzes espalhadas por todo o local.

Gastronomia
Vai ser difícil ficar com fome no MSC Orchestra. Começando pelo café da manhã, há duas opções. O hóspede pode escolher entre o buffet da La Piazzetta Cafeteria ou pelo a la carte do Villa Borghese. O último costuma encerrar a refeição mais cedo, por volta das 09h30, já a o primeiro vai até 10h30. A comida de ambos é bem parecida, porém, o Villa Borghese é mais tranqüilo, menos cheio. Como o estilo buffet é mais rápido e fica aberto até mais tarde, costuma ter mais hóspedes.
Para o almoço incluso no pacote, o hóspede pode optar por um desses restaurantes mencionados que continuam com os mesmos sistemas do café da manhã, um buffet o outro a la carte. Há, ainda, o restaurante de comida asiática Shangai Asian Fusion Restaurant, aberto para almoço e jantar, porém, é pago a parte. Ele funciona no sistema a la carte e o cliente paga por cada prato.
No jantar incluso, o hóspede receberá a orientação do turno de sua refeição, que pode começar às 20h00 (primeiro turno) ou às 22h30 (segundo turno) em um dos seguintes restaurantes a la carte: Villa Borghese ou L´ibiscus. A comida é a mesma, porém, a divisão é feita porque todos não caberiam em um só local de uma vez. Quem preferir jantar casual estilo buffet, pode ir na La Piazzeta Cafeteria das 20h00 às 22h00.
Nos restaurantes a la carte com refeições inclusas no pacote, a comida é farta. O hóspede escolhe uma entradinha, uma massa, um prato principal e uma sobremesa. Como o navio é italiano, as massas são feitas na própria embarcação e são de alta qualidade. O preparo também faz a diferença, elas estão sempre al dente e com molhos saborosos.
O restaurante Four Seasons é uma opção paga para o jantar. O hóspede pode fazer a refeição por um preço fixo de US$ 24 por pessoa. Ou, pode optar pelas pizzas da Bella Napoli, tipicamente italianas, a partir de US$ 9.
Ao longo do dia, os clientes terão diversas opções de comidinhas. É o caso das pizzas das 12h00 às 18h00 no La Piazzeta Cafeteria que estão inclusas. Para quem gosta de doce, a sorveteria é uma das tentações do navio. Ela fica na área da piscina e vende desde bolas (US$ 2,80 dois sabores) até sundae e banana split.

Compras
Vai se difícil sair do Orchestra sem comprar, pelo menos, um chocolate importado. Há sete lojas divididas por setores. Uma de alimentos e bebidas, duas joalherias, duas de acessórios e roupas, uma de produtos MSC e outra de perfumes e cosméticos. Os preços são, geralmente, mais em conta que os encontrados para os mesmo produtos no Brasil.
Na loja de bebidas e alimentos, é possível comprar uma vodka Absolut, por exemplo, por US$ 23. Já a caixinha de bombos Lindtt sai por US$ 13. Na loja de roupas, marcas como Diesel e Guess são encontradas, dentre outras. Há modelos de calças dessas grifes, por exemplo, em torno de US$ 100. Os relógios são muitos e de marcas variadas como Bulova, Citizen, Guess, Michel Kors, Puma, dentre outros. A média de preços fica entre US$ 100 e US$ 300, mas há opções um pouco mais baratas (nas promoções) e mais caras dependendo dos modelos.
As bolsas são muitas e variadas. As da grife Moschino custam em torno de US$ 110. Há muitas da Guess e da Valentino também. As Valentinos são as mais em conta, é possível encontrar modelos por menos de US$ 100. Da marca Guess existe uma grande quantidade de modelos e tamanhos, além de carteiras. Já os perfumes e cosméticos, apesar dos preços menores que no Brasil, não são tão baratos como nas lojas Duty Free dos aeroportos brasileiros. Durantes as viagens, são feitas promoções de produtos. Uma boa dica é esperar por essas liquidações para conseguir valores ainda melhores. Na viagem que a Viajar é Simples acompanhou, havia preço especial de três cosméticos (que poderiam ser perfumes) por US$ 179,90.
É importante lembrar que tanto o cassino com as lojas só abrem no Brasil quando o navio está navegando. Como jogos de azar não são permitidos no país e as lojas funcionam como freeshops a lei brasileira não permite que esses estabelecimentos abram quando a embarcação está atracada na costa.

Excursões
No itinerário que o Viajar é Simples acompanhou, o MSC Orchestra parou em Santos (SP), Búzios (RJ) e Ubatuba (SP). Em todas as cidades a companhia marítima oferece excursões. Elas devem ser adquiridas com antecedência na loja de turismo do navio. Em todos os portos há pessoas e empresas que disponibilizam passeios. Eles costumam ser mais baratos que aqueles comprados na embarcação, porém, ficam por sua conta e risco, sem nenhuma responsabilidade da MSC.
Algumas das cidades, como Búzios e Ubatuba, não possuem portos com capacidade para navios de grande porte. Sendo assim, a embarcação para a alguns quilômetros da costa e os passageiros seguem em pequenos barcos até terra firme. Quando isso acontece, a organização da descida é feita por senhas. No caso de Santos e Rio de Janeiro, por exemplo, o navio atraca e os hóspedes desembarcam direto, sem necessidade de outro meio de locomoção.
A MSC oferece quatro diferentes excursões em Búzios: Passeio de escuna (US$ 34 por adulto); Búzios e Suas Maravilhas by Van (US$ 34 por adulto); Conheça Cabo Frio e Rua dos Biquínis (US$ 38 por adulto) e Traslado em Van Privativa para Praia de Arraial do Cabo (US$ 365 para até 14 pessoas). Quem não quiser comprar passeio nem da companhia marítima nem das empresas de Búzios, pode aproveitar para conhecer o centrinho da cidade, as estátuas de Brigitte Bardot e Juscelino Kubitschek, as lojas com muita moda praia ou comer camarão e frutos do mar nos restaurantes locais.
Em Ubatuba, os navios MSC desembarcam na Praia de Itaguá. Há um comércio local e a área também está próxima ao aquário da cidade. Há vans do Aquário de Ubatuba que levam os interessados até o local gratuitamente. A entrada, para adultos, fica por R$ 15. Quem optar pelas excursões da companhia marítima, cinco opções: Escuna Tour pela Praia de Itaguá (US$ 42 por adulto), Praia do Cedro (US$ 72 por adulto); Praias do Norte e Parque Estadual (US$ 39 por adulto), Aquário e Projeto Tamar (33 por adulto) e Serviço Privativo de Van (US$ 450 para até 12 pessoas).
Já em Santos, há três opções: Traslado Guarujá (US$ 36 por adulto), Santos City Tour (US$ 30 por adulto) e Serviço Privativo de van (US$ 480 para até 14 pessoas). Em todos os passeios os preços para crianças são especiais.

MSC Aurea Spa
O Orchestra tem variados tratamentos para quem quer cuidar do corpo ou apenas relaxar. Na área do Aurea Spa ficam as cabines onde são realizadas massagens e procedimentos estéticos. Há, ainda, um salão de beleza e a Thermal Area com sauna, espaço para relaxamento e hidromassagem.
Para a utilização da Thermal Area, é preciso comprar um passe que pode ser diário, de uma hora ou de três e seis entradas de uma hora. A entrada de uma hora fica US$ 11, a do dia inteiro, US$ 31. Já, três entradas de uma hora custam US$ 30 e seis saem por US$ 57. Existe, ainda, a opção de comprar uma entrada de US$ 69 que vale por todos os dias do roteiro.
Já no Spa, são feitos tratamentos no corpo e no rosto. O navio costuma fazer algumas promoções para quem adquire diversas massagens ou aplicações. No cabeleleiro, os cabelos são tratados com marcas como a japonesa Shu Uemura e a famosa Kérastase. Os produtos também são vendidos no local. Um xampu da Shu Uemura, por exemplo, custa US$ 60.

Para viajar no MSC Orchestra
A Viajar é Simples fez itinerário de quatro noites no MSC Orchestra com saída de Santos e passando por Búzios e Ubatuba. Quem quiser fazer o mesmo roteiro nesse navio, tem opção de saída dia 06 de março de 2012. O preço por pessoa em cabine dupla nesse pacote custa a partir de US$ 469 sem taxas portuárias inclusas. Até dia 31 de janeiro, a MSC oferece pagamento em até 10 parcelas sem juros, com apenas 10% de entrada, no cheque ou cartão de crédito.
O Orchestra fica no Brasil até dia 20 de março e fará roteiros de três, quatro e sete noites. Os pacotes com menos dias são por praias do sudeste, já os de uma semana vão até capitais nordestinas, como Salvador (BA) e Maceió (AL). O roteiro de Carnaval, por exemplo, sairá de Santos no dia 18 de fevereiro e ficará dois dias na capital baiana, uma na alagoana e outro em Ilhéus.
Para mais informações sobre todos os navios e itinerários MSC, consulte o site www.msccruzeiros.com.br ou um agente de viagem.

Veja mais informações sobre a viagem feita no navio no blog do site. Clique aqui

*A repórter viajou a convite da MSC Cruzeiros

ENVIAR COMENTÁRIO

0 Comentários