Desbrave a Rota dos Vinhos da África do Sul

Por: Sylvia Barreto

A África do Sul é conhecida por sua exuberante natureza e por fauna rica. Os turistas, principalmente brasileiros, vão até o país em busca de safáris para ver de perto animais de diferentes tipos em seu habitat natural. Nas refeições, entre um passeio e outro, é normal a abundância de vinho. A bebida é produzida em larga escala no próprio país. Sendo assim, obviamente, a África do Sul também é rica em vinícolas.

A produção de vinhos na África do Sul é tradição. Ela começou com a chegada dos colonizadores holandeses no século 17. O primeiro rótulo produzido no país que se tem notícias é de 1659. Porém, a bebida produzida na África do Sul só ganhou o mundo em 1994, após o fim do apartheid, quando começou a ser exportada. Atualmente, o país é o sétimo maior produtor de vinho do mundo com 100 mil hectares de vinhedos.

Com toda essa variedade e tradição de vinhos da África do Sul, por que não visitar algumas vinícolas quando não estiver curtindo as outras belezas do destino? Pensando nisso, muitos produtores de vinho começaram a abrir suas portas aos turistas. É o caso da Distell, maior empresa produtora de bebidas da África do Sul, e com diversas vinícolas pertinho da Cidade do Cabo.

Roteiros

A Distell é uma empresa de 1925 com sede em Stellenbosch, segunda colônia europeia mais antiga da África do Sul. Fica a cerca de 50 quilômetros da Cidade do Cabo, na Província de Western Cape, na qual estão concentradas várias vinícolas de marcas de vinho da Distell.

Pensando em facilitar a ida dos brasileiros às vinícolas, a Distell fez uma parceria com a agência Be Happy Viagens e lançou no Brasil a Rota dos Vinhos da África do Sul. Os turistas do Brasil podem escolher entre duas opções de rotas diferentes, uma que dura até dois dias e outra para aqueles interessados em ficar mais tempo aproveitando os vinhos sul-africanos.

Na rota de até dois dias o turista conhece a região de Paarl, que é porta de entrada do roteiro. Foi em Paarl que Nelson Mandela, líder da luta contra o apartaheid, foi libertado em 1990 após 27 anos de prisão. A cidade abriga a vinícola Nederburg, a mais premiada da África do Sul. No local de belas paisagens o visitante conhece o museu da marca, os vinhedos e as montanhas Drakenstein. Para completar o passeio, é possível entrar na casa principal, a Manor House, uma construção de 1800 decorada com móveis da época e de estilo holandês. Considerada monumento nacional, ela abriga, ainda, o restaurante Red Table, dirigido pelo chef  Edmore Ruzoza. Claro que tem degustação de vinhos e harmonização das bebidas com queijos.

A segunda parada é na cidade em que nasceu a Distell. A vinícola local é a Bergkelder/Fleur Du Cap, que tem a primeira adega subterrânea construída no hemisfério sul. A ideia surgiu para deixar o vinho em temperatura ideal, mesmo no forte calor da África do Sul. A grande surpresa da Fleur Du Cap é a harmonização de vinhos com diferentes tipos de sair. É uma união de pratos do chef Craig Cormack, um colecionador de sair, e vinhos que não são filtrados e levam ao consumidor o gosto da uva pura e natural, da linha Fleur Du Cap Unfiletered. Além disso, ainda dá para fazer degustações guiadas e tours com vista ao museu do local.

A rota de dois dias é finalizada com um passeio à vinícola Durbanville Hills, que fica a 20 minutos de carro da Cidade do Cabo. Um de seus atrativos é a vista única da Table Mountain e Table Bay. O restaurante da Durbanville Hills oferece pratos com ingredientes de produtores locais e o cardápio muda sazonalmente. Para completar, um safári com degustação de vinhos na Table Mountain.

Quem preferir a rota mais longa, que ultrapassa os dois dias, vai conhecer a região de Franschhoek, a 50 quilômetros da Cidade do Cabo. É no destino que fica uma das maiores vinícolas da África do Sul, com 974 hectares, a Plaisir de Merle. Ela produz vinhos tintos, brancos e espumantes. Os visitantes podem optar por dois tipos de degustação, a simples ou a vertical e ainda fazer um tour. Queijos são oferecidos para harmonização com as bebidas.

Já no Vale Devon, a cerca de 40 quilômetros da Cidade do Cabo, está a vinícola The House of JC Le Roux, principal fabricante de espumantes do país. Oferece degustações especiais com quatro ou cinco tipos de vinhos. No mesmo dia, ainda dá para conhecer a vinícola Neethlinshof, que é bem pertinho da House od JC Le Roux. Para visitá-la, é preciso passar por uma avenida com quilômetros de pinheiros e é um ícone do local. A Neethlinshof tem vários tipos de harmonização e às quartas-feiras acontece o Wednesday Live Music, apresentação de música no fim da tarde. Além disso, a vinícola conta com uma mansão colonial de estilo holandês que remonta seus mais de 200 anos de história.

A Rota dos Vinhos da África do Sul cabe muito bem no itinerário de quem vai ao país conhecer sua história e aproveitar os safáris, basta adicionar dois dias de parada na Cidade do Cabo. Aqueles que têm mais tempo à disposição ou querem ir ao país exclusivamente para visitar vinícolas, pode escolher a rota com mais dias.

Serviço

Site do grupo Distell: www.distell.co.za/home
Be Happy Viagenswww.behappyviagens.com.br

Vinícolas mencionadas no texto

Durbanville Hills: www.durbanvillehills.co.za
laisir de Merle: www.plaisirdemerle.co.za
Fleur Du Cap: www.fleurducap.co.za/ www.bergkelder.co.za
The House Of JC Le Roux : www.jcleroux.co.za
Nederburg: www.nederburgauction.co.za
Neethlingshof: www.neethlingshof.co.za

Também quer saber sobre vinícolas na América do Sul? Veja vídeo do Viajar é Simples sobre tour na Concha y Toro, Chile: