Explore a emblemática Manchester em 72 horas

Por: Tatiane Almeida

Se você programou uma viagem à Inglaterra, reserve mais dias para desbravar Manchester, a cerca de 350 quilômetros de Londres. E se o plano é se emocionar, esse é o destino. O Viajar é Simples separou algumas dicas para aproveitar a cidade por três dias. É quase uma short list do que fazer no destino, dentre as centenas de atrativos. Afinal, as setenta e duas horas serão, no mínimo, suficientes para querer voltar.

Ao noroeste do país, Manchester está dividida em vários distritos, entre os quais Spinningfields, Piccadilly, Northern Quarter, Chinatown, The Gay Village e First Street. Tão vibrante quanto a capital do país, embora mais discreta, música, pubs descolados, restaurantes, muita história e entretenimento para todas as idades são os pontos fortes da cidade.

À primeira vista se nota as abelhas-operárias estampadas por toda parte e não é difícil imaginar a razão. Manchester foi o berço da revolução industrial na segunda metade do século 18 e as características daquela época, como as fábricas têxteis e alto ritmo de produção, vivem até hoje. Logo se faz a associação das colmeias e, em consequência, as abelhas-operárias.

Amor e música

A Manchester Arena, gerenciada e operada pela SMG Europe, é a maior arena coberta da Europa. Desde sua inauguração, em 1995, recebeu nomes como U2, The Rolling Stones e Madonna. A agenda de shows continua a todo vapor, com atrações como Disney On Ice presents Passport to Adventure e Lady Gaga (outubro), Jamiroqua e The Killers (novembro) confirmadas para esse fim de ano, entre outros shows.

No mês de maio desse ano, a Manchester Arena sofreu um ataque que culminou na morte de 22 pessoas, entre as quais uma menina de oito anos. A visita do Viajar é Simples à cidade ocorreu entre os meses de julho e agosto. Período em que notadamente as abelhas ressurgiram, mostrando a vontade dos cidadãos de superar a dor.

Na entrada da Arena foi se formando uma espécie de memorial, onde até agora as famílias das vítimas, moradores e turistas prestam sua homenagem, sendo uma oração, um pensamento positivo, um pedido de paz por meio de um bilhete, flores ou brinquedos no local.

Se Liverpool é a cidade dos Beatles, Manchester é a do Oasis, The Smiths, New Order, Joy Division, Simply Red, Stones Roses, Happy Mondays, Chemical Brothers e The Ting Thing. Até hoje, os apaixonados pelo british rock caminham pela First Street ou passam em frente à Haçienda (sim, se escreve com cedilha) para recordar os bons – e não tão velhos – tempos do clube que esteve ali no final dos anos 1980 e início da década de 1990.

Para que você entre no ritmo da cidade, preparamos uma listinha no Spotify com algumas músicas das bandas nascidas em Manchester, só clicar aqui

Mas nem só de rock vive a cidade, também dá para apreciar jazz no Matt e Phreds, um clube com apresentaçõesd de música ao vivo situado no Northern Quarter ou, ainda, música clássica ao vivo com a BBC Philharmonic, que oferece uma programação de concertos, às vezes com bilhetes gratuitos.

Atrativos imperdíveis

Tem pontos turísticos que não podem ficar de fora do roteiro e a Catedral de Manchester é um deles, seja pelos seus lindos vitrais ou apenas para imaginar quanta história o edíficio guarda. Com quase 600 anos, ela é datada de em 1421, esteve ali durante reformas políticas, movimentos religiosos e a revolução industrial. As portas da Catedral de Manchester estão abertas sete dias por semana, com entrada gratuita.

Outros dois pontos que dão vida à cidade e estão nessa short list são a Albert Square, com seu estilo gótico, e o bairro Chinetown, com toda identidade chinesa dos quarteirões coloridos. A praça serve de palco para eventos sazonais, incluindo festivais de arte e música e os famosos mercados de Natal de Manchester. Enquanto Chinatown, o segundo maior bairro chinês do Reino Unido, apresenta supermercados orientais, restaurantes, padarias e lojas características da China. Sedia ainda o festival anual de Ano Novo Chinês, com direito a desfiles com dragões dançantes.

O bairro Northern Quarter, entre Piccadilly e Ancoats, possui um charme único, com grafites coloridos e inúmeras lojas de moda e mobiliários, galerias, estúdios, papelarias fofas, cafés e restaurantes. O famoso Afflecks Palace, com quatro andares de expositores descolados e com trabalhos e peças únicas, e as lojas de discos ao longo da Oldham Street, como Piccadilly Records, Eastern Bloc e Vinyl Exchange, compõem os tesouros desse bairro.

No roteiro, vale adicionar a visita à Biblioteca Central, situada na St Peters Square, mesmo que não seja para saborear um livro. Este local emblemático projetado por Emanuel Vincent Harris entre 1930 e 1934 foi remodelado em 2010.

Por último, no quesito imperdível, vale sair da concentração de pessoas próxima à Piccadily Garden, e seguir para a Mosley Street onde está situada a Galeria de Arte de Manchester. Depois de conferir todos os andares, volte ao térreo para o charmoso café, aberto sempre até as 17h00 ou visite a lojinha para comprar um presente criativo. A galeria aceita uma contribuição de 3 libras para o ingresso.

Fãs de futebol

O Museu Nacional do Futebol é uma boa pedida para aqueles que curtem o esporte e gostam também de interagir com esse universo. Além disso, até 04 de março de 2018 o visitante sentirá o Brasil mais próximo da terra da rainha com a exposição intitulada “Pelé – Art Life Football”. Trata-se de uma incrível seleção de fotos, pinturas de artistas renomados como Pedro Paricio, e outros artigos do ícone do futebol mundial. Dá até para tirar foto ao lado do ídolo, já que há uma estátua de cera no local.  

E como se um museu completo não bastasse, Manchester abriga ainda o Etihad Stadium e o Old Trafford. O primeiro é sede do Manchester City Football Club. Projetado para ser sede dos Jogos Olímpicos de 2000, o estádio Etihad é aberto para passeios, onde os visitantes podem caminhar pelo túnel imaginando o som de 55 mil torcedores torcendo por seus heróis.

O segundo, o Manchester United Museum & Stadium Tour, oferece uma visão dos bastidores para o estádio Old Trafford e é a casa do Manchester United. Os preços dos tour saem a partir de 12 libras para criança e 18 libras para adultos. O Manchester City Football Club também tem pacotes para grupos.

Compras

Mesmo que não seja um colecionador de souvenirs vai querer levar um pedaço da cidade com você. Quando for pegar mapas ou uma dica com um dos colaboradores do Visit Manchester, ali no ponto da Piccadilly Square, por exemplo, pode adquirir uma camiseta linda com os dizeres “Eu amo MCR” ou uma abelha de pelúcia.

Se precisar comprar roupas ou acessórios confortáveis a um preço acessível, a dica é passar na Primark, na Market Street. Essa rede tem de tudo, desde peças casuais, passando por sapatos e malas, a meias, objetos de viagem e lingeries.

Para bolsos mais abastados a cidade reserva muitas opções, como o Manchester Arndale, com diversas lojas, entre elas Apple, H&M, Next, River Island, Topshop e Wallis. E, pelas ruas, lojas como Zara (na New Cathedral Street) e marcas tipicamente inglesas como John Lewis, Hugo Boss, Selfridges (Exchange Square Central) e Marks and Spencer ou M&S (na Market Street e em outros pontos).

O Intu Trafford Center Shopping, mais afastado do centro, abriga marcas como Selfridges, Stradivarius, Disney Store, Pull & Bear, Victoria's Secret, Lacoste, Lush, Michael Kors, Timberland e Khaadi. Além disso, conta com mais de 60 restaurantes, incluindo Bill's, The Fridays, Five Guys, assim como as franquias Burger King, Carluccio´s, Caffè Nero, Las Iguanas e KFC, que estão por todo lugares.

Dois mil anos de história em Castlefield

A viagem até Manchester, seja de Londres ou do Brasil direto ao destino, vai fazer todo o sentido se incluir no roteiro uma passadinha nos arredores de Castlefield. Situado no extremo sul-oeste de Deansgate, Castlefield é o lar de um forte romano de dois mil anos, entre canais, ruínas e moinhos antigos, bares e restaurantes, tornou-se um lugar para passear de mãos dadas.

Genuinamente romântico, o castelo não só representa a história da cidade – o forte era chamado de Mamucium e deu nome à cidade – como um espaço para respirar, apreciar a vegetação e fotografar os corações espalhados pelo chão e paredes.

Museu Imperial da Guerra

Reserve duas horas para o Museu Imperial da Guerra (Imperial War Museuns), em Salford Quays. Projetado pelo renomado arquiteto Daniel Libeskind, o museu abriga exposições permanentes e temporárias, explorando temas de conflitos modernos através de arte, fotografia e exibições interativas.

Até 1º de janeiro de 2018, o Museu Imperial da Guerra apresenta a exposição Wyndham Lewis – Life, Art, War. A mostra marca o 60º aniversário da morte do pintor, romancista inglês, um dos fundadores do movimento artístico vorticism e editor da revista Blast. E, ainda, o centenário de sua participação como artista de guerra.

Parques

Se as abelhas têm a cara dos mancunians, como são chamados os moradores de Manchester, são os parques e jardins que ostentam a beleza da cidade. Aqui o Viajar é Simples elegeu os preferidos. Com 70 hectares, o Platt Fields Park foi aberto em maio de 1910 e conta com lago, quadras esportivas, uma vegetação bem cuidada e ótima para fotos, principalmente no verão.

Já o Chorlton Park, inaugurado em 1928, está mais distante do centro da cidade, mas é uma visita obrigatória para quem quer conhecer instalações verdes, com playground e brinquedos especiais. O local possui quadras de futebol e áreas livres para cães.

No Wythenshawe Park Farm o turista vai encontrar muito mais que beleza. O espaço abriga uma fazenda da comunidade, que pode ser conferida de perto por adultos e crianças. São vacas, porcos, patos e cavalos num espaço que permite uma interação entre os visitantes. Para se ter uma ideia, veja a lista de parques, playgrounds e espaços abertos da prefeitura da cidade aqui.

Diversão e diversidade em Gay Village

Dançar, beber e festejar. Reconhecidamente uma cidade gay-friendly, Manchester abriga a Gay Village, uma das comunidades homossexuais mais antigas da Europa e a segunda maior do Reino Unido fora de Londres, de acordo com o Visit Manchester. Com suas ruas coloridas a espera de uma celebração, a Gay Village conta com bares, restaurantes, cafés e clubes e hotéis prontos para receber todos os dias da semana.

Passeando pela Canal Street, na Gay Village, é possível conhecer parte da história LGBT da cidade visitando o Sackville Gardens. O parque também abriga dois monumentos históricos: o Memorial Alan Turing (pai da computação moderna) e o Beacon of Hope, uma escultura dedicadas aos afetados pela AIDS.

Mergulho na história

O Museu da História do Povo (People's History Museum) traça a história da luta pela igualdade e democracia no Reino Unido ao longo de dois séculos. Tudo isso retatado por meio de um acervo rico, com referências aos revolucionários, trabalhadores, eleitores e cidadãos que participaram desse processo.

A entrada do Museu da História do Povo é gratuita, mas doações são bem-vindas. O museu e a loja estão abertos de segunda a domingo das 10h00 às 17h00, incluindo feriados, fechados 24, 25, 26 de dezembro e 1º de janeiro.

Transporte em Manchester

Os transportes públicos de Manchester são grandes aliados. Basta adquirir os bilhetes em uma das estações ou totens em alguns pontos de ônibus. Os travelcards do Metrolink são perfeitos para quem quer conferir as atrações citadas no texto. Eles são vendidos individualmente ou em versão família (www.metrolink.co.uk).

A reportagem do Viajar é Simples usou bastante os bilhetes da Stagecoath e Magig Bus. É preciso apenas confirmar a região, pois cada trecho tem um preço. Para usar o Magic Bus o bilhete individual sai por 1,50 libra e o de crianças por 70 centavos de libra. Se você quiser, pode com comprar por cerca de 8 libras um bilhete semanal (stagecoachbus.com). Para sorte dos turistas, Manchester disponibiliza o Metroshuttle, um ônibus gratuito que percorre a área central.

Como chegar

Várias companhias aéreas oferecem voos de São Paulo para Manchester, como British Airways, Swiss, Lufthansa e KLM, todos com conexão, principalmente em Londres ou outras cidades. De Londres, use a Virgin Trains para comprar seu ticket com destino a Manchester (www.virgintrains.co.uk). Lembre-se que quanto maior a antecedência melhor o preço.

Hotéis

Hotéis bacanas e de bandeiras conhecidas é o que não falta em Manchester, são mais de 50 na cidade. Só a rede Ibis tem cinco: Ibis Hotel Manchester Pollard Street, Ibis Styles Manchester Portland Street, Ibis Hotel Manchester Portland Street, Ibis Budget Manchester Salford Quays e Ibis Hotel Manchester Princess Street. As tarifas vão a partir de 60 libras.

No coração da cidade, o Mercure Manchester Piccadilly é moderno e tem uma vista superbacana de Manchester. A recepção está bem escondida, mas da praça Piccadilly se vê o edíficio. A tarifa para o mês de dezembro no site do hotel, sujeito a disponibilidade, para apartamento para duas pessoas sai a partir de  110 libras, sem café da manhã. Há outros hotéis Mercure próximos, em Rochdale, Trafford, Bolton e Wigan.

O lindo The Principal Manchester chama atenção pela arquitetura vitoriana e é um genuíno cartão postal da cidade. A diária gira em torno de 195 libras, sem café da manhã.

Serviço

Visit Manchester - visitmanchester.com
Administração da cidade - www.manchester.gov.uk

Atrações mencionadas no texto:

Biblioteca Central (Central Library) www.manchester.gov.uk/centrallibrary.org
Catedral de Manchester (Manchester Cathedral) www.manchestercathedral
Etihad Stadium www.cityofmanchesterstadium.co.uk
Galeria de Arte de Manchester (Manchester Art Gallery) manchesterartgallery.org
IntuTrafford Center Shopping intu.co.uk
Museu da História do Povo www.phm.org.uk
Museu Imperial da Guerra iwm.org.uk
Manchester Arena www.manchester-arena.com
Matt e Phreds www.mattandphreds.com
Manchester United Stadium www.manutd.com
Museu Nacional do Futebol (National Football Museum) nationalfootballmuseum.com
Manchester Arndale www.manchesterarndale.com
Museu História do Povo (People's History Museum) www.phm.org.uk