A Ponte de Avignon é uma construção do século 12 - Crédito: Yann de Fareins / Noir d’Ivoire

O imperdível na cidade francesa de Avignon

por: Sylvia Barreto
2 de Abril 2018

No coração da região de Provence, na França, há uma cidade imperdível. É daquelas que nem todos ouvem falar no Brasil, mas que irá fazer toda a diferença em um roteiro de belezas francesas. Esse destino é Avignon, que fica a menos de três horas de Paris de trem (TGV). Motivos para visitá-la? Podemos começar dizendo que foi a única sede da igreja católica fora de Roma, algo que lhe rendeu, dentre outras coisas, um belo palácio. Vale a pena mencionar que há uma grande muralha que protege o local desde o século 12 e que se tornou Patrimônio da Humanidade da UNESCO em 1995.

Com toda essa bagagem histórica, Avignon ainda é recortada pelo Rio Ródano. Claro, há uma ponte antiguíssima por lá, assim como em muitas cidades europeias, só que a de Avignon é bem emblemática já que está pela metade e essa história será contada mais adiante no texto. Junte todas as belezas mencionadas ao fato do destino ter hotéis charmosos e para todos os bolsos, gastronomia irresistível e toda a estrutura de comércio, com grandes marcas e redes, encontradas em qualquer capital da Europa.

Agora que você já tem boas razões para visitar Avignon, pode preparar a listinha de locais imperdíveis na cidade. E, claro, o Viajar é Simples foi até lá para te ajudar na tarefa.

Pouco mais de 4 quilômetros de muralhas cercam Avignon – Crédito: Yann de Fareins / Noir d’Ivoire

A ponte e as muralhas

Dentre os diversos pontos imperdíveis de Avignon, dois são essenciais para história da cidade e podem ser visitados juntos: Ponte de Avignon e as muralhas que envolvem parte do destino. A Ponte de Avignon, também conhecida como Ponte de Saint Benézet, é uma construção do século 12. Além de apenas ver a ponte, o ideal é pagar a entrada de 5 euros e andar

por ela, que faz parte do Patrimônio da Humanidade da UNESCO. A ponte era muito usada para facilitar a rota de peregrinos e comerciantes que estavam a caminho da Espanha e Itália. Porém, danificada várias vezes por inundações no Rio Ródano e por guerras, desistiram de restaurá-la no século 17. O atrativo, que originalmente tinha 22 arcos e 900 metros, ficou apenas com quatro arcos, os quais são vistos atualmente. Com a entrada na ponte, o visitante ainda vê a histórica capela de Saint Nicholas, que também faz parte da construção original. Ainda, é possível reviver a lenda que envolve o local. Dizem que a ponte fo

i construída pelo jovem pastor Ardèche – Bénezet – que afirmava ouvir vozes que o orientavam a fazer essa construção em Avignon. Para provar sua missão divina ao bispo cético da época, o rapaz ergueu um enorme bloco de pedra e o lançou no local designado. Em toda a trajetória, o turista é orientado por um audioguia com 11 opções de idioma, incluindo português, e por

efeitos visuais e sonoros que dão vida ao local. Ao visitar a ponte, o ideal é aproveitar para ter acesso às muralhas. Elas têm 4,3 quilômetros e começaram a ser construídas em 1355, durante o papado do Papa Inocêncio VI, para proteger a cidade dos assaltos de grupos de mercenários. A entrada na ponte oferece acesso aos muros e ao terraço Rocher des Doms Gardens, ideal para ter uma bela visão panorâmica de Avignon.

O maior palácio em estilo gótico do mundo está em Avignon – Crédito: Yann de Fareins / Noir d’Ivoire

O Palácio dos Papas

O Palácio dos Papas em Avignon é simplesmente o maior palácio em estilo gótico do mundo. Com quatro torres e 25 quartos, foi construídos pelos papas Benedito XII e Clemente VI em menos de 20 anos no século 14, de 1335 a 1352. Na época, a sede do cristianismo foi transferida de Roma para Avignon e por lá nove papas cumpriram seus anos de pontificado.
Aberto todos os dias, a entrada ao palácio custa 12 euros e os interessados visitam as salas de cerimônia usadas para festas e ocasiões formais, as capelas com seus afrescos italianos, o apartamento privado do mapa e os terraços que oferecem uma vista incrível de Avignon e do rio.
Para a história ficar ainda mais viva, o Palácio dos Papas oferece o Histopad. Usando tecnologia 3-D em tablets, o visitante vira protagonista em uma verdadeira imersão nos maiores quartos da construção através de reconstituições baseadas em material histórico. Atualmente, está disponível em sete línguas: francês, inglês, chinês, alemão, italiano, espanhol e japonês, além de linguagem de sinais. É adaptável às pessoas com mobilidade reduzida.

Avignon é cortada pelo Rio Ródano – Crédito: Yann de Fareins / Noir d’Ivoire

Aproveite de um vizinho: Pont Du Gard

Uma vez em Avignon, vale conhecer outro Patrimônio da Humanidade da UNESCO, Pont Du Gard. A construção romana fica a apenas 25 quilômetros de Avignon e pode ser alcançada de carro ou de ônibus (Linha A15 que sai do número 56 do Boulevard Saint-Roch).

Um gigante de pedra com 50 metros de altura em três níveis, foi responsável pelo abastecimento de água corrente para a cidade de Nîmes por cinco séculos e tornou a região rica. O aqueduto teve sua construção realizada no ano 50 d.C. pelos romanos. Aos poucos, os romanos foram se retirando e, por volta do século 9 ele parou de ser utilizado como aqueduto. Com os novos moradores franceses da região não compreendiam a utilidade daquela construção, as pedras foram sendo retiradas e usadas para a edificação de novas cidades.

Na Idade Média, a parte mais conservada que sobrou do aqueduto, a que atravessa o rio Gardon, começou a ser usada como ponte. O aqueduto é feito de arcos e tem três andares, que foram adaptados para formar uma verdadeira ponte. Já no século 16, os habitantes do local fizeram uma ponte acoplada utilizando a poderosa construção romana como base para atravessar o rio.

O aqueduto, que também já serviu de ponte, foi construído em 50 d.C – Crédito: Divulgação

Atualmente, Pont Du Gard oferece um centro de visitação com restaurante, bar, estacionamento, espaço para crianças e até museu. Minha visita começou pelo museu que conta a história do aqueduto. O visitante pode escolher por passear sozinho pelo local ou ter uma visita guiada. Em uma visita comum, os turistas apreciam a Pont Du Gard e a bela vista do espaço da ponte. Porém, em uma visita com guia é possível entrar no aqueduto de fato, que está na parte mais alta da construção, e percorrer o caminho que a água fazia há mais de 2000 anos. Independente do tipo de passeio que fizer, se estiver hospedado em Avignon, reserve um dia interior para aproveitar esse local mágico.

As visitas simples (sem a entrada no aqueduto com guia) custam 8,50 euros por pessoa. A entrada com visita guiada ao aqueduto custo 11,50 euros. A completa, com visitação totalmente guiada, sai 15 euros por adulto. Informações em português aqui: http://pontdugard.com/pt/preparar-sua-visita/todas-informacoes

Visita pelos canais usados para passagem da água – Crédito: Divulgação

Serviço

Site oficial: www.avignon-tourisme.com

Como chegar

Trem
Avignon tem duas estações de trem. A de TGV liga a cidade à Paris em viagens de menos de três horas, inclusive, saindo do aeroporto Roissy Charles de Gaulle. Também há rotas de 30 minutos até Marseille. Londres, Barcelona, Madri, Frankfurt, Genebra e Amsterdã também estão conectadas com Avignon via TGV. Há, ainda, uma estação central que liga a cidade com destinos da Riviera Francesa (Côte d´Azur) e os Alpes de Provence.

Avião
No aeroporto de Avignon há voos diretos para destinos da Inglaterra como Southampton, Birmingham e Londres no verão (maio a setembro), com conexões nestes locais para destinos como Irlanda e Escócia. O aeroporto de Marseille está a apenas 45 minutos de carro de avião e oferece voos para mais de 150 localidades. Há trens direto de Avignon para o aeroporto de Marseille.


Booking.com

Onde ficar

Auberge de Cassagne
Apesar de ficar um pouco distante do centro de Avignon, o hotel é extremamente romântico e charmoso. Foi construído em uma casa de 1850 e é ideal para casais. São 40 quartos e oito suítes, a maioria deles em estilo provençal. O café da manhã é cheio de bons queijos franceses e deliciosos croissants. O restaurante é de alta gastronomia e serve almoço e jantar. Para relaxar, piscina interna, um lindo terraço e SPA. Diárias a partir de 192 euros. Não abre no mês de janeiro.
Endereço: 450, Allè de Cassagne
Site: www.aubergedecassagne.com

Mercure Avignon Centre Palais des Papes
Quem prefere ficar no centro da cidade, pode escolher esse hotel da marca Mercure. Está bem pertinho do Palácio dos Papas e as dois minutos da ponte. Oferece quartos que acomodam até quatro pessoas. Diárias a partir de 136 euros.
Endereço: rue Molière -1 rue Jean Vilar
Site: https://www.accorhotels.com/pt/hotel-1952-hotel-mercure-avignon-centre-palais-des-papes/index.shtm

* A viagem contou com o apoio da Rail Europe, Auberge de Cassagne e Pont du Gard

ENVIAR COMENTÁRIO

0 Comentários